Direitos de custódia para os pais na Flórida

Os direitos legais do pai para seu(s) filho(s) podem ser complicados e esmagadores, mas estamos aqui para ajudar.

Custódia das crianças, apoio à criança e direitos de visita é uma área difícil da lei para o juiz do tribunal de família decidir. Quando ambos os pais acreditam fervorosamente que são os “melhores” pais para ter “custódia” do seu filho ou filhos, pode ser uma experiência dolorosa, cara e extremamente emocional.

Isso não ocorre apenas para os pais, mas também afeta as crianças ou a criança.

P>Download nosso guia informativo GRATUITO sobre Crianças e Divórcio

Visiting Rights For Fathers in Florida

Na Flórida, as leis de visitação são agora leis de time-sharing. Isto significa que a quantidade de time-share que você é concedido afeta o pagamento da pensão alimentícia de seu filho. Isto também significa que será muito mais fácil mudar um pedido actual de visitas com os seus filhos.

Você e seu ex-cônjuge podem concordar com uma mudança no cronograma de visitas, mas você deve conseguir que o acordo (plano parental) seja aprovado pelo tribunal antes que seja executável.

Os pais têm direitos na Flórida?

Sim. Nos últimos anos, a Flórida passou por (e ganhou) uma dura batalha pela igualdade dos homens em relação aos seus filhos.

Há uma revisão completa na lei da Flórida em relação aos acordos de time-sharing concedidos em casos de divórcio e paternidade. Ao invés de um dos pais (geralmente a mãe) receber o status de “pai primário residencial”, agora temos “planos parentais” onde a responsabilidade por cada aspecto da vida das crianças deve ser explicada.

Pode um pai receber a custódia de seu filho na Flórida?

Na Flórida é raro que um dos pais receba a responsabilidade e custódia exclusiva dos pais. No entanto, não é impossível. Para que um tribunal conceda a custódia total a qualquer dos pais, o tribunal deve determinar que a responsabilidade parental partilhada seria prejudicial para as crianças e não no seu melhor interesse.

Por isso, para que um pai obtenha a custódia total na Flórida, ele deve mostrar ao tribunal que dar qualquer responsabilidade parental à mãe seria prejudicial para as crianças envolvidas. Demonstrar que a mãe é susceptível de prejudicar a relação entre o pai e os filhos ou que é improvável que ela adira ao plano de time-sharing ordenado pelo tribunal são dois exemplos de circunstâncias que poderiam resultar na custódia total do pai.

Direitos legais do pai para seu filho

direitos do pai para a custódia na florida

Click to ChatDireitos de custódia da florida (aka Time Horário de Partilha e Planos Parentais) exigem que o tribunal considere “o melhor interesse da(s) criança(s)” quando o tribunal está a decidir um caso de custódia da criança (horário de partilha de tempo e plano parental).

Parece simples mas envolve muitos factores e é bastante complicado.

Depois de considerar estes muitos factores diferentes, o tribunal faz uma determinação do plano parental.

Alguns fatores envolvidos nas questões de custódia da criança na Flórida:

  1. A capacidade demonstrada e a disposição de cada um dos pais para facilitar e encorajar um relacionamento próximo e contínuo entre pais e filhos, para honrar o cronograma de tempo compartilhado, e para ser razoável quando mudanças forem necessárias.
  2. A divisão antecipada das responsabilidades parentais após o litígio, incluindo a medida em que as responsabilidades parentais serão delegadas a terceiros.
  3. A capacidade demonstrada e a disposição de cada um dos pais para determinar, considerar e agir de acordo com as necessidades da criança, em oposição às necessidades ou desejos dos pais.
  4. O tempo que a criança viveu num ambiente estável e satisfatório e a conveniência de manter a continuidade.
  5. A viabilidade geográfica do plano parental, com especial atenção para as necessidades das crianças em idade escolar e o tempo a ser gasto em viagens para efetivar o plano parental. Este fator não cria uma presunção a favor ou contra a recolocação de qualquer dos pais com um filho.
  6. A aptidão moral dos pais.
  7. A saúde mental e física dos pais.
  8. A casa, a escola e a comunidade da criança.
  9. A razoável preferência da criança, se o tribunal considerar que a criança tem inteligência, compreensão e experiência suficientes para expressar uma preferência.
  10. O conhecimento demonstrado, capacidade e disposição de cada um dos pais para ser informado sobre as circunstâncias da criança menor, incluindo, mas não se limitando aos amigos da criança, professores, prestadores de cuidados médicos, atividades diárias e coisas favoritas.
  11. A capacidade demonstrada e a disposição de cada um dos pais para fornecer uma rotina consistente para a criança, como disciplina, e horários diários para trabalhos de casa, refeições e hora de dormir.
  12. A capacidade demonstrada de cada um dos pais para se comunicar e manter os outros pais informados sobre questões e atividades relativas à criança menor, e a disposição de cada um dos pais para adotar uma frente unificada em todas as questões principais ao lidar com a criança.
  13. Avidência de violência doméstica, violência sexual, abuso infantil, abandono infantil, ou negligência infantil, independentemente de ter sido instaurada uma acção prévia ou pendente relacionada com essas questões. Se o tribunal aceitar provas de ações anteriores ou pendentes relativas a violência doméstica, violência sexual, abuso infantil, abandono infantil ou negligência infantil, o tribunal deve reconhecer especificamente por escrito que tais provas foram consideradas ao avaliar o melhor interesse da criança.

  14. Evidência de que qualquer dos pais tenha fornecido intencionalmente informações falsas ao tribunal em relação a qualquer ação anterior ou pendente relativa a violência doméstica, violência sexual, abuso infantil, abandono infantil ou negligência infantil.
  15. As tarefas parentais particulares habitualmente executadas por cada um dos pais e a divisão das responsabilidades parentais perante a instituição do litígio e durante o litígio pendente, incluindo a medida em que as responsabilidades parentais foram assumidas por terceiros.
  16. A capacidade demonstrada e a disposição de cada um dos pais para participar e estar envolvido nas actividades escolares e extracurriculares da criança.
  17. A capacidade demonstrada e a disposição de cada um dos pais para manter um ambiente para a criança livre de abuso de substâncias.
  18. A capacidade demonstrada e a disposição de cada um dos pais para proteger a criança do litígio em curso, como demonstrado por não discutir o litígio com a criança, não partilhar documentos ou meios electrónicos relacionados com o litígio com a criança, e abster-se de comentários depreciativos sobre o outro pai para a criança.
  19. Os estágios e necessidades de desenvolvimento da criança e a capacidade e disposição demonstradas de cada um dos pais para atender às necessidades de desenvolvimento da criança.
  20. Qualquer outro fator que seja relevante para a determinação de um plano de parentalidade específico, incluindo o cronograma de time-sharing.

Algumas vezes uma avaliação parental pode ser encomendada ou um anúncio do Guardião Litem é nomeado. Uma investigação independente é ordenada e um relatório é arquivado para auxiliar o tribunal na sua determinação da custódia. Esta é apenas uma lista parcial. O tribunal pode utilizar qualquer outra prova que seja apresentada na audiência, incluindo o testemunho, para determinar o interesse superior da(s) criança(s).

Não há nenhum método para determinar o interesse superior da(s) criança(s). Não há maneira exata de determinar se os fatores são aplicados de forma justa sob as circunstâncias em qualquer caso individual. É importante discutir todos os fatores com um advogado de direito de família experiente.

Que direitos tem um pai se o seu nome não está na certidão de nascimento?

Se a sua situação é que o seu nome não está na certidão de nascimento da criança, resultados diferentes podem ser alcançados dependendo de outros fatores.

Por exemplo

  1. Uma criança nasce de uma mãe não casada, e ninguém é nomeado como pai na certidão de nascimento.
    a.Neste cenário, a criança não tem um pai legal.
    b.As crianças com esse status já foram conhecidas como “bastardos”, mas esse termo se transformou ao longo dos anos. São agora conhecidos como “ilegítimos”, mas mesmo esse termo é por vezes considerado politicamente incorrecto. Um novo termo pode em breve entrar na moda.
  2. li> Uma criança nasce de uma mãe não casada, e X é nomeado como pai na certidão de nascimento.
    a.X é o pai legal.
    b.A criança é legítima, e mantém esse status, independentemente de quaisquer outras mudanças legais que possam ocorrer no futuroli> Uma criança nasce de uma mãe casada, e seu marido é nomeado como pai na certidão de nascimento.
    a.O marido é o pai legal.
    b.A criança é legítimali>Uma criança nasce de uma mãe casada, e ninguém é nomeado como pai na certidão de nascimento.
    a.O marido é o pai legal, mas provar isso pode ser difícil sem a cooperação da mãe.
    b.A criança é legítimali>Uma criança nasce de uma mãe casada, e X, que não é seu marido, é nomeado como pai na certidão de nascimento
    a.X é o pai legal, mas o marido poderia potencialmente substituir X como pai legal
    b.A criança é legítima

Você pode ler mais sobre este assunto em nosso artigo Direitos dos Pais na Flórida Casos de Custódia

Classes de pais

Parenting classes for fathers in Florida.Classes de pais para pais na Flórida.

ambos os pais devem assistir a uma aula para pais antes do divórcio.

Esta é a área mais importante do seu caso aos olhos do juiz. Sob a lei da Flórida, ambos os pais devem comparecer a uma aula de paternidade antes de se divorciarem. A aula de parenting ajuda os pais a entender suas mudanças de papéis.

Esta mudança é tanto a curto como a longo prazo. Você terá que lidar com seu ex-cônjuge por muitos anos em relação à(s) criança(s).

Sempre se lembre que a criança(s) não é(são) “seu(s)” filho(s) mas “nosso(s)” filho(s). Ao testemunhar é importante usar a(s) “nossa(s)” criança(s), pois o tribunal irá apreciar que você entende esta importante distinção.

Modificação dos Direitos de Custódia para os Pais

Modificação do Tempo Partilhado e visitação é possível após uma decisão final ser tomada pelo tribunal.

O ónus da prova recai sobre o pai que pretende alterar o acordo de time-sharing. O pai não-custodial deve provar que houve uma mudança significativa e material nas circunstâncias desde que a última Ordem foi entrada.

Esta é uma área altamente técnica da lei e você deve entrar em contato com um advogado para determinar se o seu atual acordo de custódia (time sharing) pode ser modificado.

Again, make sure that if you enter into any agreements regarding the custody (time sharing) of your child(ren) it is important that you understand your legal rights prior to signing the agreement.

Contact The Men’s Rights Law Firm attorneys specializing in Custody Rights for Father’s, to schedule your free consultation and learn more about Men’s Rights In Divorce. Or call us today at 239-829-0166.

Our Areas Of Practice Include:

  • Men’s Rights
  • Domestic Relations (Florida Family Law)
  • Domestic Violence towards Men
  • Men’s Rights in Divorce
  • Parenting Plans
  • Father’s Rights to Visitation (Time Sharing)
  • Father’s Rights in Child Support
  • Paternity Rights for Men
  • Father’s Rights in a Dependency Action

Deixe um comentário