Produto mínimo viável (MVP)

Definição

Um produto mínimo viável (MVP) é um conceito do Lean Startup que enfatiza o impacto do aprendizado no desenvolvimento de novos produtos. Eric Ries, definiu um MVP como aquela versão de um novo produto que permite a uma equipe coletar o máximo de aprendizado validado sobre os clientes com o menor esforço. Este aprendizado validado vem na forma de se seus clientes irão realmente comprar seu produto.

Uma premissa chave por trás da idéia do MVP é que você produz um produto real (que pode não ser mais do que uma página de destino, ou um serviço com aparência de automação, mas que é totalmente manual nos bastidores) que você pode oferecer aos clientes e observar seu comportamento real com o produto ou serviço. Ver o que as pessoas realmente fazem com respeito a um produto é muito mais confiável do que perguntar às pessoas o que elas fariam.

Benefícios Esperados

O principal benefício de um MVP é que você pode ganhar compreensão sobre o interesse de seus clientes em seu produto sem desenvolver totalmente o produto. Quanto mais cedo você puder descobrir se o seu produto vai atrair os clientes, menos esforço e despesas você gasta em um produto que não terá sucesso no mercado.

Posições Comuns

As equipes usam o termo MVP, mas não entendem totalmente o seu uso ou significado pretendido. Muitas vezes essa falta de entendimento se manifesta em acreditar que um MVP é a menor quantidade de funcionalidade que eles podem fornecer, sem o critério adicional de ser suficiente para aprender sobre a viabilidade do negócio do produto.

As equipes também podem confundir um MVP – que tem um foco no aprendizado – com um Recurso Mínimo Marcável (MMF) ou Produto Mínimo Marcável (MMP) – que tem um foco no ganho. Não há muito mal nisso, a menos que a equipe se torne muito focada em entregar algo sem considerar se é o algo certo que satisfaça as necessidades do cliente.

As equipes enfatizam a parte mínima do MVP com a exclusão da parte viável. O produto entregue não é de qualidade suficiente para fornecer uma avaliação precisa sobre se os clientes irão usar o produto.

As equipas entregam o que consideram um MVP, e depois não fazem mais nenhuma alteração nesse produto, independentemente do feedback que recebem sobre ele.

Custos Potenciais

O uso de um MVP significa que uma equipa pode mudar drasticamente um produto que entregam aos seus clientes ou abandonar o produto em conjunto com base no feedback que recebem dos seus clientes. O aspecto mínimo do MVP encoraja as equipas a fazer o mínimo de trabalho possível para obter um feedback útil (Eric Ries refere-se a isto como aprendizagem validada) que as ajuda a evitar trabalhar num produto que ninguém quer.

Origins

2009: O conceito de MVP ganhou popularidade depois que Eric Ries o descreveu em seu livro the Lean Startup

Signs of Use

Uma equipe usa efetivamente o MVP como peça central de uma estratégia de experimentação. Eles fazem a hipótese de que seus clientes têm uma necessidade e que o produto em que a equipe está trabalhando satisfaz essa necessidade. A equipe então entrega algo a esses clientes a fim de descobrir se de fato os clientes vão usar o produto para satisfazer essas necessidades. Com base nas informações obtidas nesta experiência, a equipe continua, muda ou cancela o trabalho sobre o produto.

Outras leituras

The Lean Startup: Como os empreendedores de hoje usam a inovação contínua para criar negócios radicalmente bem sucedidos por Eric Ries

Deixe um comentário